Mulher Amputada foi expulsa de praia enquanto vendia bebidas na Praia de Itaóca em Itapemirim

Carla de Souza, ambulante desde 2012, moradora da Rua Belo Horizonte, Itaipava, disse que foi expulsa de seu local de trabalho, na Praia de Itaóca, por três fiscais da Prefeitura de Itapemirim/ES na tarde de domingo (13).

Ambulante que tem uma das pernas amputada é expulsa na Praia de Itaóca por fiscais

 

A senhora, que tem uma das pernas amputadas, disse que mesmo mostrando o alvará de funcionamento, os fiscais a intimidaram, exigindo a retirada de seu carrinho de vendas de bebidas do local, que fica em frente ao Palco de shows, armado pela Prefeitura. Carla disse que a explicação dada foi de que não poderia vender suas bebidas de frente para o palco pois ela estava atrapalhando as pessoas dançarem.

No alvará segundo a ambulante, não havia restrições para venda no local. O valor do alvará de funcionamento, é de R$ 72, e está em dia, segundo a ambulante.

Mãe de 4 filhas, casada a 7 anos com seu companheiro, quatro netos, Carla disse que sobrevive das vendas e o Verão é o momento de agregar mais valores, ao orçamento familiar.

No domingo (13), ás 17:30 hs , a ambulante disse que fiscais chegaram e anunciaram para os ambulantes que não eles poderiam estar ali, que deveriam se retirar. Ela disse que uma pequena confusão foi iniciada, com a presença de várias testemunhas, que depois do ocorrido, correram para as Redes Sociais, relatando o abuso de autoridades dos fiscais. Outros ambulantes foram ameaçados, e a Polícia Militar foi acionada, mas ninguém foi retirado do local.

Ela disse que os fiscais então ficaram intimidando os ambulantes e um ambulante que estava com uma cerveja, teve a bebida jogada no chão por um dos fiscais.

Carla relatou que a confusão terminou quando ela humilhada e constrangida resolveu sair do local, junto com seu esposo e uma neta. Ela falou que a Guarda Municipal também pediu que eles saíssem, falando que os fiscais também eram autoridades.

Não é a primeira vez que fatos como esse acontecem e a consumação mínima de quase R$ 100, comissão de 10%, para turistas, ninguém faz nada? Disse Carla.

O Setor responsável pela fiscalização, entrou em contato com o Site Maratimba.com, tendo seu direito de resposta na próxima edição do jornal virtual.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

3 + 13 =