Doze escolas de Anchieta já realizam coleta seletiva, em Anchieta

Ação faz parte de um decreto municipal que determina a coleta seletiva em escolas e repartições públicas.

Doze escolas de Anchieta já realizam coleta seletiva, em Anchieta
Doze escolas de Anchieta já realizam coleta seletiva, em Anchieta

Várias escolas de Anchieta já estão colocando em prática a determinação do Decreto Municipal nº 5823/18, que institui a separação e a destinação adequada dos recicláveis nos prédios públicos e escolas do município. Até agora 12 escolas estão habilitadas e já recolheram em poucos meses cerca de 600 kg de lixo reciclável.

A Secretaria de Meio Ambiente de Anchieta (Seman), em parceria com Secretaria de Educação (Seme), vem desenvolvendo o Projeto ‘Coleta Seletiva nas Escolas – A Boa Prática Começa Por Aqui’, que tem o objetivo estimular a mudança prática de atitudes e a formação de novos hábitos quanto a destinação dos resíduos sólidos gerados na comunidade escolar.

Conforme a Seman, desde abril deste ano foram trabalhadas e habilitadas 12 escolas: Ponta dos Castelhanos, Parati, Terezinha Godoy, Planalto, Recanto do Sol (Ensino Fundamental e Creche), Chapada do A, Belo Horizonte, Creche Criança Feliz, Novo Horizonte, Amarílis Fernandes Garcia e Escola Viva.

As ações desenvolvidas pela Seman nas escolas incluem reuniões com diretores, capacitação e orientação quanto à estruturação da logística interna de coleta seletiva para pedagogos, merendeiras e pessoal dos serviços gerais, exposição temática, além de visitas às escolas para acompanhamento e monitoramento da aplicação e desenvolvimento do projeto. “O trabalho é feito de forma gradual, escola por escola, através de várias visitas e encontros, de acordo com a peculiaridade de cada uma”, explica a titular da pasta, Jéssica Martins.

Segundo informações da Seman, essas escolas já estão separando adequadamente os resíduos sólidos, que através de relatórios gerados pela Associação Unipran – responsável pela coleta e processamento dos resíduos, são monitorados em termos quantitativos.

“O ponto mais importante do trabalho é fazer com que a equipe técnica e servidores das escolas entendam a necessidade ambiental e social da reciclagem. Estimulando os alunos nessa prática, é disseminada nas famílias, ampliando a consciência ambiental e a participação social”, disse a gerente Recurso Hídricos e Naturais, Ana das Graças da Matta.

De acordo com a educadora ambiental da Seman que acompanha o projeto, Bernardeth Miranda, outro ponto forte é o incentivo ao reaproveitamento das lixeiras já existentes nas escolas e a confecção de lixeiras sustentáveis, a fim de não onerar os cofres públicos.

Até o momento foram coletados cerca de 600 kg de resíduo reciclável. “Ressalta-se, que o valor ainda é baixo, pois as escolas não iniciaram a coleta simultaneamente, e sim, de forma gradativa. A partir da finalização dos trabalhos ter-se-á o quantitativo real mensal de participação escolar”, almeja a gerente.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

15 − um =